Sindicatos protestam contra extinção de Secretaria de Comunicação no governo do Rio Grande do Sul

124

secom_rs_internaEm nota conjunta emitida no dia 22 de dezembro de 2014, os Sindicatos dos Jornalistas e dos Radialistas do Rio Grande do Sul posicionaram-se contrários à perspectiva de enfraquecimento do setor de comunicação na nova gestão do governo do estado. No governo de José Ivo Sartori, a comunicação voltou a ser uma coordenadoria vinculada ao gabinete do governador.

Na leitura dos dois sindicatos, o retorno da Comunicação à condição de Coordenadoria faz com que a pasta perca autonomia para tratar de assuntos de interesse do próprio governo e, principalmente, dos cidadãos.

A preocupação das entidades de classe é de que os avanços conquistados nos últimos anos sejam perdidos. Elas avaliam que na gestão que se encerrou a comunicação ganhou espaço junto aos grandes temas do Estado, aproximando o governo das empresas de comunicação e da população.

Para os Sindicatos dos Jornalistas e Radialistas do RS, “o entendimento, por parte dos novos governantes, de que não necessitam de porta-voz, evidencia o descaso com os profissionais responsáveis por estreitar as relações entre as partes envolvidas no processo de comunicação”.

“Por estes motivos, os Sindicatos dos Jornalistas e dos Radialistas reafirmam seu compromisso com a categoria e com a sociedade, mantendo-se em permanente luta por melhores condições de trabalho e autonomia”, finaliza o documento.

Segundo o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, Milton Simas, a decisão do novo governo preocupa os profissionais de jornalismo, que mais uma vez vêem a profissão ser relegada a um segundo plano. “Os gestores públicos devem ter entendimento do papel do jornalista como protagonista no processo de comunicação pública, sendo um intermediário entre os órgãos institucionais, a mídia e a população, mas infelizmente nem todos têm esta consciência”, disse.