Marcha a Brasília combate retirada de direitos e reformas neoliberais

248

Nesta quarta-feira (24/10) organizações sindicais e movimentos sociais realizam a “Marcha a Brasília em defesa dos nossos direitos”. O movimento pretende combater a reforma da previdência e medidas do governo federal e do Congresso Nacional que retiram direitos dos trabalhadores.

Descontentes com diversas propostas e ações do governo federal, organizações e movimentos sociais desenvolvem, desde o início de 2007, uma jornada de lutas que já incluiu manifestações no 1º de Maio, o Dia Nacional de Lutas Contra as Reformas – no dia 23 de maio -, o combate à Emenda 3, o Grito dos Excluídos, o Plebiscito Nacional sobre a reestatização da Vale do Rio Doce e ações em Defesa da Reforma Agrária.

A organização da Marcha a Brasília envolve entidades e movimentos como a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e pastorais sociais, MST, Assembléia Popular, Intersindical, Conlutas, movimentos pela democratização da comunicação e Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), entre outros.

O protesto popular empunhará diversas bandeiras em oposição a medidas do governo federal e do Congresso nacional como a reforma da previdência, as restrições ao direito de greve dos funcionários públicos, a criminalização dos movimentos sociais, as privatizações e o pagamento da dívida externa. Na ocasião serão entregues às autoridades federais o resultado do plebiscito popular sobre a Vale do Rio Doce, realizado de 1º a 7 de setembro.