O assassinato de Evany José Metzker tem que ser rigorosamente investigado e punido

271

jornalista_decapitado_internaA Federação Nacional dos Jornalistas repudia o assassinato do jornalista Evany José Metzker, cujo corpo foi encontrado em Padre Paraíso (MG), no dia 18 de maio, e cobra das autoridades competentes rigorosa apuração e punição deste ato bárbaro. A morte de Evany insere-se no contexto da crescente agressão contra o exercício da profissão de jornalista no Brasil, o que exige inevitáveis e urgentes medidas para conter tal violência.

Desaparecido desde o dia 14, Evany José Metzker foi encontrado no dia 18, decapitado e com marcas de violência em seu corpo. Ele publicava o blog “Coruja do Vale” e, segundo informações, já havia sido avisado do risco de ser morto por conta das reportagens e denúncias que publicava. E profissionais do Vale do Jequitinhonha revelaram ao Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais que o clima na região é de insegurança e violência, em decorrência do tráfico de drogas e de prostituição infantil.

Em função disso, a FENAJ faz coro com a manifestação
do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais de não aceitar que a hipótese de o assassinato estar relacionado ao exercício da profissão de jornalista seja descartada sem uma profunda investigação, distanciada de ingerências locais ou regionais e espera da força-tarefa enviada pelo governo do estado ao município rigorosa e transparente apuração.

Este e outros casos de violência contra jornalistas serão apresentados em audiência conjunta com o Ministério da Justiça e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República no dia 11 de junho, quando a FENAJ reivindicará a imediata instalação do já aprovado Observatório da Violência contra Profissionais de Imprensa no Brasil, a aprovação do projeto de lei da federalização das investigações de crimes contra jornalistas e da instituição de um Protocolo de Segurança para o exercício da profissão.

Brasília, 20 de maio de 2015.

Diretoria da FENAJ