Sindicato repudia demissões na Cultura e cobra FPA sobre TV e Rádio Justiça

207

O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (SJP-DF), ao tomar conhecimento da situação instalada na Fundação Padre Anchieta em suas atividades em Brasília (DF), vem a todos demonstrar repúdio às atuais políticas de gestão de recursos humanos aplicadas pela mesma, e demonstradas pelo atual presidente da fundação, João Sayad. 

Nesta segunda-feira (3), todos os profissionais que atuavam na sucursal da emissora em Brasília foram sumariamente demitidos, sem qualquer comunicação prévia sobre a data em que o fato ocorreria – embora o presidente da FPA, João Sayad, já tivesse demonstrado sua intenção em extinguir os postos de trabalho da capital federal. 

Da mesma maneira, a atual política de recursos humanos da FPA determinou o cancelamento dos contratos de gerenciamento de pessoal da TV e Rádio Justiça, em seus núcleos no Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Superior Eleitoral e Ministério Público Federal. 

Afora o contrato com o STF, os demais cancelamentos foram referendados nos últimos meses. Entretanto, a data inicial prevista para a saída da FPA dos quadros do STF, onde está concentrada a maior parte dos jornalistas e demais profissionais de comunicação da TV e Rádio Justiça, era sinalizada para 31 de janeiro, mas até o momento, nenhum empregado foi notificado sobre o que deve acontecer ou recebeu o aviso prévio, obrigatório de acordo com a legislação trabalhista em vigor no país. 

Deste modo, o SJPDF vem a público demonstrar o repúdio às últimas ações nesta política de recursos humanos e à Fundação Padre Anchieta exigir as explicações que os funcionários desta empresa requerem há dias, sem qualquer espécie de satisfação.

Fonte: site do SJDF